Abre-alas (Atilano Muradas)

< Voltar ao índice

Abre-alas que um povo está chegando
É o povo de Deus que vem entrando
O diabo e seus anjos tão tremendo
E a igreja de Deus prevalecendo.

Não adianta macumba contra nós
Se Jesus lá no Céu é nossa voz.
Urucubaca, má sorte, não pega, nem prevalece
Jesus é o santo forte, de nós não se esquece
Dá-nos proteção sem cobrar nenhum tostão e a salvação.
Abre-alas, então, abre-alas.

Abre-alas que um povo está chegando
É o povo de Deus que vem marchando.
Desfilando nas ruas da história
Escrevendo outra página de glória.

O diabo não pára de afligir
Mas a igreja aprendeu a resistir.
Feitiçaria, despacho, não pega, nem prevalece,
Jesus derrotou o diacho pra que vida em nós houvesse.
Por isso nós cantamos ao Senhor que nós amamos – adoração.
Abre-alas, então, abre-alas.

Abre-alas que um povo está cantando
E os poderes do inferno abalando.
Abre-alas que o céu está se abrindo
E as bênçãos de Deus estão caindo.

Este samba foi feito pra louvar
Ao Senhor criador do céu e mar,
Poderoso, Deus forte, nos guarda e nos fortalece,
Mudou a nossa sorte, deu-nos vida que enobrece.
Agora é só esperar o Senhor que vai voltar pra nos buscar.
Abre-alas, então, abre-alas.

Abre-alas que um povo está cantando ( ô, ô ).
É o povo de Deus que vem entrando ( ô, ô ).
Abre-alas que um povo está chegando ( ô, ô ).
É o povo de Deus que vem marchando ( ô, ô ).

Abre-alas que um povo está chegando.
Abre-alas que um povo está orando.
Abre-alas que um povo está chegando.
Abre-alas que um povo está chegando.
Abre-alas que um povo está chegando.
Abre-alas que um povo já chegou.